Ações são intensificadas a fim de evitar a proliferação do mosquito. Vigilância em Saúde alerta sobre a importância das pessoas revisarem seus pátios quanto à água parada.

Levantamento epidemiológico de Teutônia aponta locais onde há presença do mosquito Aedes Aegypti, já com confirmação de casos de dengue. São 28 casos confirmados e 120 em análise. Entre os confirmados 10 são autoctones e 18 são importados. O principal objetivo é orientar a população para que possam verificar seus pátios e residências e eliminar todos focos de água parada.

Os agentes de endemias seguem realizando visitas às residências e empresas, onde realizam ações de orientação e eliminação dos focos, juntamente com os agentes comunitários de saúde, a fim de ampliar a quantidade diária de verificações. As visitas tem sido realizadas em um raio de 150 metros da residência onde há confirmação de casos confirmados. Porém, com o grande aumento da contaminação no município, é necessária a mobilização por parte da população em suas casas e locais de trabalho. Além disso, o município providencia a contratação emergencial de mais profissionais para auxiliarem nesta tarefa de verificação e controle.

Pontos identificados
Focos encontrados pelas agentes de endemias durante análise de controle e verificação de raio, após confirmação de casos de pessoas contaminadas com o vírus da dengue.

Bairro Canabarro:
Rua Carlos Arnt;
Rua Germano Gausmann;

Bairro Alesgut:
Rua Major Bandeira;

Bairro Languiru:
Rua Guilherme Brust;
Rua Waldemar Dreyer;

Interior:
Pontes Filho;

Bairro Teutônia:
Rua Ernesto Henrique Ahlert;

Como prevenir?
O Mosquito Aedes demora, em média, 7 dias para nascer, por isso é importante verificar e limpar semanalmente os locais que geram acúmulo de água, a fim de evitar que a larva do mosquito de desenvolva. É necessário observar possíveis focos dentro e fora das residências.

O que posso fazer?
* Retirar água dos pneus;
* Tampar toneis e caixas d’água;
* Colocar areia nos vasinhos de plantas;
* Manter as calhas sempre limpas;
* Manter a lixeira bem fechada;
* Manter a água da piscina tratada;
* Lavar com frequência o pote de água do seu animal de estimação;
* Tirar o excesso de água das floreiras;
* Observar o acúmulo de água nas plantas em jardins (bromélias)
* Descartar todo tipo de material/recipiente que possa acumular água, como tampas de garrafas, potes plásticos, latas, sacos plásticos, entre outros materiais.
Para amenizar e eliminar focos de mosquito, a Secretaria de Agricultura e Meio ambiente orienta a aplicação de 2 ml da solução de água sanitária em um litro de água em plantas, principalmente as que acumulam água entre as folhas, como as bromélias. Essa solução não é prejudicial às plantas e evitará o desenvolvimento da larva do mosquito.
É recomendado o uso de repelente de qualidade para auxiliar na proteção contra a picada do mosquito. Procure atendimento médico imediatamente se perceber os seguintes sintomas:

DENGUE
Febre alta (acima de 38 graus) de início imediato, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações. A pessoa infectada também pode sentir fraqueza e dor atrás dos olhos, e ter manchas e erupções na pele. Náusea e vômito são comuns.

CHIKUNGUNYA:
Febre alta que começa imediatamente, dores intensas nas articulações dos pés e mãos (dedos, tornozelos e pulsos). Também pode apresentar dor de cabeça, dores musculares e manchas vermelhas na pele.

ZIKA:
Manchas vermelhas pelo corpo, febre baixa, coceira leve a intensa, e vermelhidão nos olhos. Também pode apresentar diarreia e sinais de conjutivite. Pode causar malformação no feto durante a gestação (microcefalia).

Data de publicação: 28/04/2022

Créditos: Assessoria de Imprensa Teutônia

Créditos das Fotos: Assessoria de Imprensa Teutônia

Compartilhe!